Facebook Linkedin

Consumo de energia no Mercado Livre cai 0,61% em abril

Veículo: IN - Investimentos e Notícias

06/06/2016

O Índice Comerc Energia, apurado mensalmente pela Comerc Energia, revelou queda de 0,61% no consumo de energia elétrica pelas unidades de sua base de clientes em abril de 2016 em comparação com o mês anterior. A empresa é líder no Mercado Livre de Energia, sendo responsável pela gestão de 15% do seu consumo no país.

A tendência de retração reflete o cenário de fraco desempenho da economia do País. O Índice de Confiança do Consumidor (ICC), divulgado pela Fundação Getúlio Vargas, caiu 2,7 pontos em relação a março, atingindo o menor nível da série histórica do estudo desde 2005, segundo o instituto. Esse também é o sentimento das pequenas e médias empresas, que caracterizam parte do grupo de consumidores especiais do mercado livre. A confiança dos empresários de pequeno e médio porte para os próximos meses teve queda de 0,7% segundo o Índice de Confiança do Empresário de Pequenos e Médios Negócios no Brasil (IC-PMN), preparado pelo Insper.

No comparativo anual, o Índice Comerc Energia também registrou queda, de 1,22% no mês em relação a abril 2015. Os números acompanham as tendências apontadas por outros indicadores do mercado de energia. Segundo dados da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), o consumo no mercado livre inteiro teve um recuo de 0,03% em abril, quando comparado ao mesmo período de 2015 nos dados sem efeito da sazonalidade, ou seja, desconsiderando o atual boom de migração de clientes especiais para o mercado livre.

Em abril, apenas três setores tiveram alta no consumo de energia em relação a março, sendo a maior delas no segmento de Manufaturados, com 2,27%. A maior queda, de -9,32%, foi registrada no setor de Material de Construção. Estudo daAssociação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (ABRAMAT) revela que as vendas de materiais deconstrução no Brasil caíram 10,5% em abril, na comparação anual, e recuaram 1,2% sobre março, motivadas pela crise econômica.

Na comparação do consumo de abril deste ano com o mesmo mês em 2015, fica ainda mais claro o desaquecimento da economia, principalmente no setor de construção. No período, a média de alta girou em torno de 3% para três segmentos: Papel e Celulose (+3,90%), Comércio e Varejista (3,93%) e Alimentos (3,78%). O resultado é confirmado pela CCEE, que aponta comércio, bebidas e alimentos como os setores que mais consumiram. Os demais segmentos consumiram menos energia, sendo que a principal variação negativa foi vista novamente em maior escala no setor de Materiais deConstrução (-21,15%), seguido de Manufaturados (-12,68%) e Eletromecânica (-10,96%).

Retração reflete indicadores econômicos, como o Índice de Confiança do Consumidor (ICC), que caiu 2,7 pontos em relação a março (Foto: Foto: Divulgação)